Blockchain por definição simplificada nada mais é do que uma rede digital de segurança.

Ela funciona com blocos encadeados que contém conteúdo juntamente com uma impressão digital.

No caso das moedas digitais, esse conteúdo é uma transação financeira, na qual o bloco posterior vai conter a impressão do anterior e assim por diante.

Complexo? Nem tanto. Porém, nós vamos explicar detalhadamente para você como funciona o Blockchain.

Blockchain é protocolo de segurança

Também conhecido como protocolo da confiança, a tecnologia Blockchain usa a descentralização como medida de segurança.

Suas bases de registros e dados compartilhados criam um índice global para todas as transações ocorridas em um determinado mercado.

Ela é a principal inovação de tecnologia do Bitcoin, pois trata-se da prova das transações que são realizadas na rede.

O projeto inclusive tem servido como base para o surgimento de novas criptomoedas e bancos de dados distribuídos.

A palavra-chave deste protocolo é justamente a segurança, pois a base de dados do Blockchain é à prova de violação.

Blocos e transações

O bloco gênese é codificado no software e serve como o ponto zero do sistema.

Ele contém informações sobre as regras ou instruções sobre o resto do banco de dados.

Feito isto, esse banco é formado a partir de uma série de blocos que juntos formam uma cadeia.

Cada bloco na cadeia contém informações ou transações.

À medida que transações são informadas, ela é guardada no bloco de acordo com o momento que ela foi processada.

Esta combinação de informação e tempo cria um livro-razão que documenta valor e outros recursos.

Depois das transações serem empilhadas no bloco, uma assinatura ou “hash” é adicionada no final do bloco.

hash é linkado ao bloco anterior da cadeia e formam as ligações voltando entre as cadeias até chegar ao bloco gênese.

Ele inclui o número do bloco atual e o número do próximo bloco da cadeia.

Também inclui a data e o momento que foi assinado além da quantidade transações inclusas no bloco presente.

hash apresenta-se como uma chave encriptografada.

Tendência tecnológica

Como base da tecnologia das criptomoedas, a Blockchain tem levantado interesse de grandes corporações financeiras e organizações de governo.

Desde esse interesse, algumas modificações têm sido feitas a partir do projeto original.

Em 2015, foi criada uma implementação da tecnologia, a segunda geração – o Ethereum, sobre o qual vamos falar bastante aqui em nosso blog.

Essa evolução tornou possível também o surgimento de conceitos distribuídos de blockchain.

Uma delas é a sidechain, que permitiria uma maior diversidade de blockchains sem comprometer a comunicação entre elas.

Este é um conceito importante já que prepararia a rede para uma eminente tendência de diversificação.

A que diferentes empresas têm trabalhado na implementação de sua própria blockchain.

Futuro

Graças a toda essa tecnologia, as vantagens e aplicações do blockchain são imensas.

Como o blockchain elimina intermediários, as transações acontecem em tempo real, com menos custos e sem perder em segurança, já que elas podem ser verificáveis e auditáveis.

O risco de fraudes é reduzido por meio de contratos inteligentes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here