Em um mercado altamente competitivo e mutável como o comércio exterior, estar atualizado com as demandas e as novas tendências de mercado deixou de ser um diferencial para se tornar uma questão de sobrevivência. Os mais diversos agentes operantes no comércio internacional  buscam diferenciais que gerem valor aos seus clientes. Para reforçar a inovação,  várias empresas já aderiram a, pelo menos, uma ferramenta de gestão integrada. Neste artigo, apresentaremos algumas das tendências para este setor.

Sistemas integrados, ferramentas de gestão e novas tecnologias tem sido algumas das formas de investimento para aumentar a performance e a rentabilidade dos negócios, afinal de contas, existem dois fatores cruciais neste mercado que são implacáveis.

FATORES CRUCIAIS

Tempo. É um ponto determinante a ser observado nos processos de exportação e importação de carga. Um processo mal delineado pode atrasar o carregamento de navio, o  que resultará na perda do embarque, por exemplo. Tendo esse direcionamento em vista, as autoridades portuárias passaram a racionalizar métodos que permitissem a otimização de fluxos que costumam demandar tempo. Além do retrabalho inoperante, o resultado também serão prejuízos financeiros, o que nos leva ao ponto seguinte.

Recursos financeiros. Em qualquer ramo de atividade, tem a capacidade de permitir o crescimento da empresa ou, na pior das hipóteses, leva-la a falência. No comércio exterior esse fator se torna ainda mais agravante, pois as multas, taxas, impostos e custos com retrabalho, quando não são bem geridos, podem trazer grande prejuízo à empresa.

Se você, como gestor – ou mesmo profissional da área, parar por um instante e analisar, notará rapidamente que os dois principais problemas logísticos do comércio exterior são tempo e dinheiro, e que todos os demais empecilhos são uma continuidade desses.

TENDÊNCIAS E TECNOLOGIAS

Para mitigar ou mesmo extinguir estes problemas, as novas tendências para o mercado internacional e as tecnologias estão providenciando soluções cada vez mais personalizadas para cada tipo de negócio.

Um desses métodos, que figuram como tendência para o futuro do comércio exterior, é o chamado “despacho sobre as águas”, uma das modalidades do Programa Operador Econômico Autorizado – que consiste em um plano para conceder a importadores, exportadores e demais stakeholders do universo de comércio, a condição de empresa segura e confiável para este tipo de comércio. Basicamente, consiste autoridades ficais realizarem a inspeção da carga ainda com o navio em alto mar, o que reduz significativamente o tempo de negociação.

Outra tendência efervescente para o mercado global é a aplicação da Internet of Things, também conhecida como IoT, que está transformando a forma como as cargas eram identificadas e rastreadas, até então. Na prática, funciona uma conexão entre os dispositivos instalados nas cargas e a rede que dados Big Data, outra tendência promissora. O Big Data é  o termo utilizado para  descrever o grande volume de dados  – sendo estruturados ou não – que influencia na análise de informações e, consequentemente, na tomada de decisões e ações estratégicas de negócios por parte dos gestores.

E o blockchain, possivelmente a mais revolucionária de todas as tecnologias mencionadas nesse artigo ou mesmo fora dele, já ouviu falar? Alguns especialistas estão afirmando que o blockchain pode avançar tanto, que se torne mais transformador para o ecossistema dos negócios que a própria internet. Neste artigo, nós apresentamos maiores detalhes sobre como a operações de comércio internacional podem ser otimizadas, na prática, com o blockchain, que é uma cadeia de armazenamento seguro para transações entre duas ou mais partes, nós já falamos aqui sobre uma empresa que já começou a implantar essa tecnologia em seus embarques.

As criptomoedas, também conhecidas como moedas digitais, são oriundas do blockchain e também pode ser utilizado nas operações de transações internacionais, por serem valores financeiros e descentralizados, além de minimizar o tempo de processamento de pagamentos internacionais de forma significativa, por exemplo.

POR ONDE COMEÇAR

Primeiro, você precisa se capacitar para estar preparado para implantar as tecnologias como moedas digitais e blockchain em seu negócio.

Se você se interessa por este assunto, não deixe de participar do FutureCOMEX, o maior evento de criptomoedas e blockchain para comércio exterior e câmbio do Brasil.

Antecipe-se nessas tendências e saia na frente de seus concorrentes. Acesse www.futurecomex.com e garanta seu ingresso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here